Resenha #23 - A Forma Abstrata de se Curtir a Vida

por - janeiro 25, 2016

Título: A Forma Abstrata de se Curtir a Vida
Autor: Eulálio Cohim Hereda de Freitas
Páginas: 215
Editora: Independente
Classificação: ❤/5
Sinopse: A história relata o período em que Marcos, um adolescente de 16 anos, rompe a barreira da timidez para iniciar um relacionamento com Juliana, uma garota de 17 anos. Em meio à influência de colegas e amigos, ele acaba se envolvendo com Hellen, uma garota aparentemente liberal, mas que depois pede exclusividade. Entre ser um rapaz sincero ou mentiroso, Marcos vai aprendendo com os erros e definindo como seguir sua vida e seus relacionamentos.

Opinião: Apesar de não ser o tipo de romance que costume ler, A Forma Abstrata de se Curtir a Vida me deixou pensativa.

Admito que quando terminei de lê-lo fiquei em dúvida sobre o que pensar. Não é um romance intenso, que arrebata corações. Ele, na realidade, nos traz de fato a forma abstrata do amor, do que é viver a vida.

Enquanto isso, adolescentes viviam uma explosão de emoções e sentimentos, alguns já namoravam e descobriam a sexualidade de uma maneira simples, impulsiva.

Temos como personagem principal Marcos, que no primeiro momento já se encontra em um impasse de conversar ou não com a estudante sentada ao seu lado, Juliana, que acaba se tornando sua primeira namorada e, consequentemente, a primeira garota com quem tem relações sexuais.

Com o desenrolar da história vemos Marcos já querendo descobrir mais sobre esse novo mundo, novas sensações. É quando Hellen entra em cena. Sem ter maldade ou saber como agir, Marcos acaba em uma relação paralela, mas a culpa o corrompe e ele acaba confessando a Juliana sobre seus encontros.

É interessante neste ponto ver sua luta entre saber o que seria o certo e o errado. Como poderia ser errado algo que lhe traz tanto prazer? E como lidar com a culpa constante? Essas são algumas das questões que Marcos aprende a lidar.

Em nenhum momento eles conversavam ou perguntaram se o outro possuía namorado ou namorada. Hellen se deliciava com os beijos que trocava com Marcos, que já não demonstrava mais reação negativa e ainda abraçava-a de forma mais apertada.

Com o passar da história vemos que o caso de Marcos não lhe rendeu bons momentos tanto quanto imaginava, mas a vida segue, é a regra. Logo ele se relaciona com Fabiana e por aí vai. Então, com o passar do tempo e suas relações, acaba sendo o cara experiente a tirar a virgindade de uma garota.

Realmente percebi que não era para ser um romance arrebatador, é a realidade, como a vida é e como as coisas vão passando. É nossa forma de formar preceitos, aprender com nossas experiências.

No início sentia falta do sexo, depois os beijos gostosos, o toque das mãos, a companhia. Estava decidido a não repetir mais os erros cometidos [...]. Essa fase melancólica o fez virar a folha do caderno, esquecer a poesia incompleta e iniciar outras cada vez mais apaixonantes.

Depois de bastante refletir sobre a leitura realmente percebi que todos somos assim, esperamos sensações diferentes, vemos de modo diferente, mas todos vivemos assim. Vivendo e aprendendo, virando a folha e começando um novo capítulo de nossa história.

Uma leitura leve e cativante, para quem curte o gênero é uma ótima pedida! É isso pessoal, até a próxima!



♥ Você também vai amar:

22 comentários

  1. Oi, Lilian.
    Assim como você esse não é o tipo de história que eu costume ler. Apesar de, em alguns casos gostar bastante de uma narrativa mais realista, isso quase nunca se aplica às histórias românticas. Prefiro amores um pouco mais duradouros daqueles que os protagonistas sofrem por ele (sou dessas, ahahah).
    Acredito que o aspecto que mais me agradaria na narrativa, caso fosse lê-la, seria o fato de exalar verossimilhança. Ainda assim não imagino que seja o suficiente para me conquistar.
    Gostei da resenha, já estou seguindo o blog :)

    Um beijo!
    Crônica sem Eira

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Adorei seu comentário! Obrigada pela visita, estarei visitando seu blog em breve!

      Excluir
  2. Oii, tudo bem?

    Realmente não é um romance arrebatador que mostra o amor idealizado e perfeito, que vemos em alguns livros. Pelo contrário, parece conter relatos bem reais, e mostrando o amor e as dúvidas que vem com ele. Entretanto, não me chama muito a minha atenção, então não sei se leria.

    Beijinhos,

    Rafaella Lima || Vamos Falar de Livros?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente entendo, por Vezes também deixo de ler algo por não me chamar atenção! Obrigada pela visita!

      Excluir
  3. Bom dia, Lilian.
    Esse é um dos livros que pensei muito se valia à pena torná-lo público, principalmente por que é o primeiro e foi escrito por volta de 1995 ou 1996 (vinte anos atrás! Estou ficando velho). Apesar de apresentar uma verossimilhança, toda a história é fictícia.

    Confesso que durante a revisão do livro passou pela minha mente a necessidade de ter desenvolvido um romance mais intenso e arrebatador, uma trama mais envolvente e que despertasse uma ira promovida pela traição, pelos sentimentos de vingança, etc. No entanto, eu não queria alterar a originalidade do que havia escrito na minha adolescência, me deparei várias vezes durante a revisão com esse conflito de querer mudar o sentido da história, mas resisti à tentação e fiz apenas algumas mudanças estéticas.

    Foi bom ler sua resenha, acho que ficou um ponto de exclamação no ar, como se ainda estivesse refletindo sobre o que leu. É bom também ler os comentários, observar a receptividade e críticas de seus seguidores.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. HAHAHA, vi mesmo que a história se passava a um tempo, na época da conversão do real! Sim, realmente entendo. Mas gostei da leitura depois que entendi o que realmente quis nos passar! Obrigada pela oportunidade!

      Excluir
  4. Pareceu ser interessante pela sinopse, só fiquei com um pé atrás, com essa coisa de ficar com várias meninas, sei lá, não gosto muito disso nos livros, mas apesar disso, deu vontade de ler. Parabéns pela resenha. :)

    ResponderExcluir
  5. Amei a sua resenha Lilian!!! Pode não ser o tipo de romance que eu leria, mas pela seua resenha me deixou bastante pensativa e me lembrei da minha época de adolescente!! Acho q todo adolescente deveriam ler esse livro, parece trazer bastante reflexões sobre essa fase da vida!!

    Nathália Bastos// www.bibliotecalecture.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim! Apesar de não ter tido tantas experiencias como nosso protagonista, me deparei cm as mesmas dúvidas! Que bom que gostou e obrigada pela visitá!!! ❤

      Excluir
  6. Achei muito lindo você parar, analisar e resenhar com sinceridade e transparência. A maioria de nós falaria sobre seus sentimentos e a falta do romance arrebatador (eu faria isso!) e foi inspirador descobrir que eu agiria errado. Parabéns! Não é um livro que me chamaria a atenção, porque eu leio pelo romance arrebatador! Mas adorei a premissa. Ele fugiu do óbvio e com certeza isso já é incrível.
    Beijão, Mari Scotti

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada! Que bom que gostou! Geralmente tb me guio pelo romance avassalador, admito, mas é bom darmos oportunidades para descobrir coisas novas! Confesso que me identifiquei algumas vezes com nosso protagonista, afinal são dúvidas que todos passamos alguma vez na vida!

      Excluir
  7. Me pareceu um romance leve, sem grandes reviravoltas. Não é uma obra para mim, não sou o público alvo hehehe
    Mas eu leria, só pelo que vc falou, adoro histórias que me fazem pensar...

    >> Vida Complicada <<

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, não é o estilo típico que estamos acostumadas, mas vale a pena ler!

      Excluir
  8. Não é exatamente o tipo de romance que gosto, aprecio aqueles mais arrebatadores, cheios de emoção e que nos fazem suspirar e pelo que entendi, não é tanto o caso neste livro, mas mesmo não tendo despertado o meu interesse, gostei de ler a sua resenha e acredito que outros leitores possam sim se interessar pela obra.

    http://www.daimaginacaoaescrita.com/

    ResponderExcluir
  9. Oi tudo bem? Essa é a primeira vez que leio sobre esse livro, é visível que você gostou e curti a forma como você se expressou e é interessante a forma como o autor escreveu. Mas não me cativou a ponto de querer ler. Beijos.

    ResponderExcluir
  10. Oi Lilian, tudo bom?
    Então, eu realmente prefiro romances arrebatadores e emocionantes, de vida real já basta a minha, nossa senhora :C KKKK mas gostei muito das suas reflexões. Nunca passei por uma situação como a do personagem porque não gosto dessas coisas, mas fico imaginando o que eu faria.

    beijos

    ResponderExcluir
  11. Boa noite!
    Achei esse romance bem diferente, e como você disse, que mostra bem a realidade, nada daqueles dramas ou romance água com açúcar. Gostei, e fiquei curiosa para entender os motivos do personagem fazer o que fez, e como ele lidou com tudo. Não conhecia a obra ainda, mas quero muito ler.
    beijos
    www.apenasumvicio.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom dia Dessa,
      Procurei seu contato no blog www.apenasumvicio.com e não encontrei. Meu propósito atual é divulgar minhas publicações e como você demonstrou interesse em ler a obra, poderia te enviar via e-mail a versão e-book do livro, caso goste de ler livros na versão digital.

      Excluir
  12. Oi Lilian, quando li a sinopse do livro pensei justamente que fosse um romance, porém ainda assim me passou a ideia ser algo mais sério, não focado em uma única relação. Agora não sei dizer se leria, tenho receio de acabar sendo uma leitura enfadonha apesar de que o assunto parece ser bem interessante, a forma como o protagonista vai errando e aprendendo com os erros e essa ânsia e curiosidade com o que não se experimentou ainda é algo que todos nós passamos seja aos 15 ou aos 30, na verdade acho que em qualquer idade. Gostei bastante da resenha, mas preciso pensar um pouco mais antes de resolver dar uma chance!

    ResponderExcluir
  13. Bom dia a todos. Eu ficava na dúvida em que gênero enquadrar minhas obras, visto que estamos acostumados a ver essa divisão em filmes: ficção, romance, drama, aventura, etc. Na literatura isso às vezes fica mais restrito, inclusive na classificação ISBN e ficha catalográfica. Geralmente um livro é classificado como Romance, Fábula, Conto, Crônica, etc.

    Em resumo, nem todo romance é romântico, mas entendo que a expectativa da maioria das pessoas que teceram comentários relacionados à resenha esperava que o título estivesse relacionado a um romance mais meloso, dramático, coisas assim.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pela participação nos comentários, é muito bom ver o quanto se importa com a opinião dos leitores! Parabéns pela obra!

      Excluir