Resenha #52 - Os Três

por - julho 02, 2016

Título: Os Três
Autora: Sarah Lotz
Editora: Arqueiro
Gênero: Ficção | Terror
Páginas: 400
Lançamento: 2014
Skoob (www) Comprar (www)
Classificação: 
Sinopse: "Quinta-Feira Negra. O dia que nunca será esquecido. O dia em que quatro aviões caem, quase no mesmo instante, em quatro pontos diferentes do mundo. Há apenas quatro sobreviventes. Três são crianças. Elas emergem dos destroços aparentemente ilesas, mas sofreram uma transformação. A quarta pessoa é Pamela May Donald, que só vive tempo suficiente para deixar um alerta em seu celular: 'Eles estão aqui. O menino. O menino, vigiem o menino, vigiem as pessoas mortas, ah, meu Deus, elas são tantas... Estão vindo me pegar agora. Vamos todos embora logo. Todos nós. Pastor Len, avise a eles que o menino, não é para ele...' Essa mensagem irá mudar completamente o mundo. "

 Opinião: Me atrevo a dizer que esse livro é profundamente intenso e um pouco perturbador. Ao iniciar a leitura esperei um mistério com uma narrativa comum, mas me surpreendi com a forma como a autora nos inseriu em sua história.

Quatro aviões, em diferentes partes do mundo, caem. Quase que simultaneamente. Se é raro vermos um avião caindo, imagine quatro. Pois é com isso que lidamos nesse suspense. Mas o mais incrível ainda é que somente quatro pessoas sobrevivem, dentre elas, três crianças, aparentemente sem nenhuma conexão entre elas. A última sobrevive apenas um pouco, apavorada com o que vê, ela deixa uma mensagem ao mundo: "Eles estão aqui [...]". 


"Espere um instante... Tem alguma coisa se mexendo, perto de onde começavam as árvores. Uma forma escura, uma pessoa pequena, uma criança?"

Qual a probabilidade de três crianças sairem quase ilesas de acidentes em que não restou nenhum outro sobrevivente? É essa pergunta que traz uma onda de repercussões mundo afora. Apocalipse? Alienígenas? Ou apenas crianças desafortunadas que estão em choque pelo que passaram?


"O rosto vem em sua direção; está tão perto que ela sente a respiração do menino nas bochechas. Tenta se concentrar nos olhos dele. Será que estão...? De jeito nenhum. É só a má iluminação. Eles estão brancos, totalmente brancos, sem pupilas, ah, jesus, me ajude [...]"

Como mencionei acima, a história nos é apresentada de uma forma diferente. Em pequenos capítulos somos inseridos em relatos e arquivos de pessoas envolvidas com aquelas tragédias. Médicos, parentes e inúmeras pessoas que estão relacionadas com a tragédia inexplicável.

O dia acaba ficando conhecido como "Quinta-feira negra" e as crianças perseguidas pelos mais perigosos fanáticos, dentre eles, religiosos, curiosos e até mesmo pessoas cheias de ódio que só querem que aquelas abominações desapareçam.

A forma como a autora nos trouxe o relato das pessoas envolvidas foi fascinante. Ver em todos os ângulos o que uma tragédia dessa proporção traz nas pessoas foi incrível. Vimos claramente a dor, o desespero, o medo, a curiosidade, em suas formas mais cruas. 


"A gente nunca espera que vá acontecer com a gente, não é?"

Mas pelos relatos vemos que há algo acontecendo. As crianças não são mais as mesmas. Seria isso imaginação dos envolvidos, estresse, traumas? Ou realmente alguma coisa mudou nos três sobreviventes naquela misteriosa noite?


"Ele parecia olhar através de mim. Depois... escute, Elspeth, isso vai parecer muito sinistro, mas eles começaram a marejar, como se ele fosse cair no choro, só que... Meu Deus... isso é difícil... eles não estavam se enchendo de lágrimas e, sim, de sangue."

Essa é a dúvida que nos acompanha em toda a história e somos levados a acreditar em inúmeras possibilidades. A autora nos envolve na loucura, conhecemos pessoas desesperadas, fanáticas, supersticiosas ao extremo e vemos a história sob seu ponto de vista a ponto de acreditar no que eles acreditam. Mas qual é a real verdade?

Ao final achei mais interessante é que a autora fez parecer uma biografia, trouxe além dos relatos, trechos de conversas, e-mails, gravações, entrevistas, blogs e tudo que fosse relacionado ao mistério e pudéssemos entender a proporção do que aquela tragédia trouxe para a vida das pessoas. Como eu disse, foi fascinante, mas também muito perturbador.

Além disso ela nos trouxe lugares reais, histórias reais, como por exemplo, a flores Aokigahara, que é conhecida como floresta do suicídio, contando como as pessoas lidam com as crenças de lá e acontece de ser um dos cenários principais. Isso dá muito mais mistério e teorias para a tragédia. Poderia ter sido proposital? Espíritos malignos? Ou um simples defeito no avião?

Sei que deixei vocês com mais dúvidas do que parece, mas é exatamente isso que nos faz querer ler até o final. Nada é o que parece e tudo parece ser real, sob seu ponto de vista. Misturando terror, suspense, crenças, espíritos e tudo mais que podemos imaginar, a autora criou um verdadeiro mistério, digno de ser revelado e lido.

A editora também fez um trabalho ótimo com a diagramação, as folhas amareladas e letras em tamanho proporcional foram um fator positivo para leitura. Não identifiquei erros de revisão, nem de formatação. A capa ficou perfeita, compatível com a história e com um charme único.

Enfim, só tenho a dizer que foram as páginas mais tensas e tenebrosas que já li, adorei cada minuto, não achei nada cansativo e ao final final me peguei pensando muito nessa história, no que somos capazes de fazer por uma crença errada. 

Se estiver procurando uma leitura cheia de mistérios, essa é a escolha perfeita. Espero que tenham gostado, não me estendi muito nos fatos para não acabar revelando nada, mas espero que tenham pego a essência da história e que gostem tanto quanto eu. Super recomendo! Beijos e até a próxima!



♥ Você também vai amar:

19 comentários

  1. Olá,
    Esse é um livro que estou em duvida se leio ou não. Não sou de ler livros do genero, mas esse ar de mistério faz a gente ficar curiosa.
    Adorei a resenha.
    Bjs
    http://diarioelivros.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Por isso eu diria pra você ler logo e acabar com essa curiosidade! Obrigada, fico feliz em saber que gostou! <3

      Excluir
  2. Gente, como assim? Achei a capa incrível mas fiquei com medo só de ler a sinopse. Não costumo ler esse tipo de livro mas esse me interessou muito. Ai que indecisão.
    Beijos
    Quanto Mais Livros Melhor

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, sério que não? Que pena, porque o livro é ótimo, deveria experimentar!
      Beijo.

      Excluir
  3. Eu sempre quis ler esse livro e só precisava de uma resenha como a sua pra me convencer mais ainda.
    Eu morro de medo de terror com crianças, mas infelizmente esses são um dos melhores.
    Beijos
    Balaio de Babados
    Participe da promoção de aniversário do blog Crônica sem Eira

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E não é que são mesmo, fazem a história ficar ainda melhor haha
      Que ótimo saber que gostou <3 beijo

      Excluir
  4. Olá!
    Confesso que me interessei, mas ao descobrir que era terror, já desisti, rs.
    Não é meu gênero não!
    Beijos
    http://estante-da-ale.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Só pela sinopse, já fiquei meio assustada,rs.Parece bem impactante.Mas gostei muito da sua resenha.É uma história completamente diferente do que estamos acostumados á ler.


    :)

    beeijão
    http://www.carolhermanas.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, e por isso mesmo que é boa!
      Fico feliz em saber que tenha gostado, obrigada <3 bjs

      Excluir
  6. Oie! Parece ser um livro muito interessante mesmo, mas infelizmente não estou bem psicologicamente para ler ele!
    Bjss, comenta por favor, ajudaria muito ^^ http://resenhasteen.blogspot.com.br/2016/07/voce-no-4-kenshin-festival-com-o-rt.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, é uma pena então porque a leitura é ótima!
      Obrigada pela visita, beijo

      Excluir
  7. Eu adoro suas resenhas de livros são sempre muito boas.
    Agora, o que me pega mesmo é livro que contém conteúdo de terror, não curto muito porque sou meio medrosa sabe? haha
    Se eu não consigo ver um filme, imagina ler um terror? haha
    A sinopse é muito boa e deixa a gente com um medo, já que é muito estranho e raro cair 4 aviões e ter sobreviventes né? hehe
    E sua opinião sobre o conteúdo deixa a gente com vontade de quebrar o preconceito e ler com vontade, já que eu amo livros que nos prendem e cada página.
    Beijos. ♥

    Diário da Lady

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que fofa, muito obrigaada <3 ficamos realmente felizes em saber disso, mudou meu humor de hoje haha.
      Eu sou bem medrosa também, e por isso mesmo gosto de abusar nisso, não me julgue agora. Quando assisto um filme de terror principalmente, é normal! Beijos

      Excluir
  8. Eu não sabia que esse livro vinha antes do livro O Quarto dia. Mas amei que a autora fez as duas obras se parecerem, seja pelo enredo ou pela capa maravilhosa. Faz tempo demais que não leio suspenses e este é daqueles que nos prende do começo ao fim, já está na minha lista! Abraços.
    Leitora Encantada

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai que bom, adiciona com vontade! Essas duas obras ficaram surpreendentes, as capas então nem se fala! Beijos

      Excluir
  9. Que resenha linda! Agora tem como não querer ler o livro? Me interessei de cara. Parabéns pela escrita! Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não tem mais!! Obrigada pelo carinhoso comentário <3

      Excluir
  10. Eu também gostei muito desse ar jornalístico que a autora trouxe, quase acreditei em tudo ali hahaha. Ficou muito bacana. Todas as transcrições, entrevistas... Pareceu um dossiê real mesmo e isso que mais me chamou a atenção. Amei <3


    (Carol)
    Conhece o nosso blog? ourbravenewblog.weebly.com
    Estamos sempre retribuindo visitas e comentários de amigos blogueiros :)

    ResponderExcluir