Resenha #104 - Mademoiselle Zaira

por - janeiro 26, 2017

Título: Mademoiselle Zaira
Autor: Mario Vicente
Editora: Integração
Gênero: Aventura | Crime | Ficção | Literatura Brasileira | Romance
Páginas: 192
Lançamento: 2015
Skoob: (Ler +)
Comprar: (www)
Classificação: 
[E-book cedido pela autor em parceria]
Sinopse: "Narrativa fantástica. Um Feto conta, a partir de uma carta anônima, o drama da mãe que, aos 15 anos, vê-se aprisionada num convento da capital, um mês após ser violentamente deflorada. Romance baseado em uma nota de jornal, o autor cria uma narrativa densa, envolvente e instigante, permeada de suspense, mas sem perder a sensibilidade ao retratar o drama de uma adolescente nos Anos Dourados. Abandono, tristeza, decepção e perigo marcam a trajetória de mãe e filho, tragicamente separados ainda na maternidade. Até onde iria uma mãe, desenganada pelo próprio pai, para reencontrar o filho? Mademoiselle Zaira, fala de temas difíceis e profundos: violência sexual, abandono, rejeição, vingança, preconceito, fidelidade, amor..."


 Opinião: Quando avistei esse livro através do Skoob, há aproximadamente uns dois anos atrás, me interessei pela sinopse que o livro trazia, e agora, finalmente tive o prazer de conhecer o autor através do Skoob e sua obra. Aqui se trata de uma história linda e coberta de emoção e profundidade.


Na história de Mademoiselle Zaira pude acolher seu sentimento mais puro de mãe, a inocência e o amor que uma mãe transmite ao filho e vice e versa, porque nesse livro é diferente, aqui a narrativa foi uma nova descoberta para mim e vocês já verão a razão pela qual esclareço isso.

Além disso, o mais impressionante foram as reviravoltas, descobertas e superação que percorrem o livro desde a primeira página até o fim.

Esse livro nos traz a história de Zaira, uma jovem que, ainda aos 15 anos de idade, que engravida após ser vítima de violência sexual, ocorrida em uma noite em uma festa de carnaval.

Em face ao trágico acontecimento, Zaira decide ficar em silencio, tentando por tudo se esconder e esquivar-se da verdade, porém, quando sua gravidez é notada através dos sintomas que acabam por lhe denunciar, mademoiselle se vê obrigada pelo próprio pai que, repleto de razões egoístas, ordena que a filha se esconda em um convento, pois caso não o fizesse, desonraria a imagem de boa família e seus costumes, logo, teria que se livrar da filha até que a mesma apurasse a gravidez.

Nesse começo de história, já é possível o leitor notar que o autor já aborda muito a respeito do preconceito, uma vez que percebemos que o pai de Zaira é um homem machista e autoritário que prefere seguir a própria ambição e ignora os sentimentos da própria filha.

Face a trágica situação e, precipitadamente, quando Zaira está em apuros e desespero, tenta por tudo livrar-se do filho e o rejeita como mãe. É lógico, como uma jovem de apenas 15 anos poderia ser sustento psicológico suficiente para lidar com tal situação? Porém, mesmo sob influência da emoção e ansiedade, a jovem repensa bem e começa a nutrir sentimentos e amor pelo filho. Esse é um momento lindo da história, trata-se de um sentimento que só uma mãe pode ter pelo filho.


A primeira vez que li uma sinopse desse livro, há muito tempo atrás e antes de não me aprofundar na leitura, não imaginei a terrível situação de Zaira, mas é claro que após ler o livro com carinho pude perceber que qualquer garota de 15 anos inicialmente faria o mesmo, até porque nenhuma garota tão jovem como Zaira suportaria com facilidade uma gravidez indesejada.

Como se não bastasse, ao longo da história Zaira se vê obrigada novamente por ordens do pai a casar-se com um homem que nem conhece só para satisfazer seu interesse após seu filho nascer, o qual é entregue à adoção. Após tanto sofrimento, ela ainda tem o desprazer de receber várias cartas anônimas com bastante frequência, o que só atormenta mais ainda a vida da jovem.

Vale mencionar ainda que Zaira é envolta por seu amor que, desde o incidente no carnaval, tenta ficar próxima dela, porém, a ignorância do destino os separam por muito tempo.  Mas ainda assim, ambos continuam apaixonados e a procura um do outro.

A narrativa é alternativa, pois no começo do livro é narrado pelo próprio bebê de Zaira, ainda feto. Ele transmite alguns dos sentimentos de Zaira, quando por exemplo, consegue entender quando sua mãe está triste, quando apresenta comportamentos distantes ou até mesmo quando se sente sozinha, que era o mais freqüente. Depois disso, a narrativa recai mais sobre Zaira e acontecimentos ao seu redor e até mais distantes, como a vida do filho com os pais adotivos.

Foi a primeira vez que li um livro com uma narrativa assim e confesso que fiquei admirada, pois foi aconchegante acompanhar a leitura em todos esses momentos em que o bebê de Zaira respirava a vida da mãe e transmitia o amor que já sentia por ela.

Enfim, o livro é maravilhosamente bem escrito e rico em detalhes de lugares pretéritos, fazendo o leitor imaginar com profundidade o passado, pois aborda um tema forte, profundo e que ainda pode ser presente na nossa sociedade.

Como personagens marcantes, vemos Zaira que é forte e guerreira. Marlon, seu amor, é persistente e paciente. Seu pai, o machista, é egocêntrico e frio.

No desenrolar da história, o autor traz descobertas a respeito das cartas trazidas por alguém desconhecido, o autor do trágico acontecimento, mistérios que vão se desenrolando, o amor de mãe, o amor entre um casal apaixonado, a curiosidade e saudade de um filho que nunca nem conheceu sua mãe biológica, e por fim, a reviravolta de tudo de ruim que aconteceu.


Eu recomento sim essa obra encantadora e tenho certeza que outros leitores irão se apaixonar assim como eu. Vale a pena descobrir mais um talento da literatura brasileira. Beijos e até a próxima.



♥ Você também vai amar:

11 comentários

  1. Oi! A história parece ser linda, vou procurar com toda certeza, preciso saber o final. Bjos ♥️

    Click Literário 

    ResponderExcluir
  2. Oi!
    Achei bem interessante o livro, não sou muito de ler esse genero. Mas a parte que você comenta sobre o livro ter uma narrativa do "feto" me lembrou um texto que ouvi lá na 5º série que era narrado pelo um feto.

    Bjs!
    www.aunivesitaria.com

    ResponderExcluir
  3. Oie!
    Só digo uma coisa sobre esse livro: UAU. Menina, você não tem noção de como me deu um vontade imensa de ler esse livro. Parece genial e profundo. Quem sabe eu leia um dia (não curto e-books :c )

    Beijos,
    Natália.

    www.doprefacioaoepilogo.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Acho tão importante abordar assuntos assim não é mesmo?
    Tipo, tem tantas "crianças" passando por isso nos dias de hoje que é importante dar um empurrão nos pais e pedir ajuda DE todoos.

    amei muito sua resenha e vou procurar saber mais sobre a história :)

    beeijão ^^
    http://www.carolhermanas.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Olá!

    Nossa, o livro realmente parece muito bom, gosto muito de ler dramas, fiquei bem interessada.

    Beijooos!
    abobrinhacomchocolate.com.br

    ResponderExcluir
  6. Oi, meninas. Fiquei impressionada por esta resenha! Juro que não sabia bem do que se tratava a história, mas fiquei eufórica para saber mais sobre o livro. Acho esse tema tão delicado mas se muito bem abordado, pode dar nos diversas lições de vida.
    Amei!!
    Beijo, Leitora Encantada

    ResponderExcluir
  7. Uauu pela sinopse a narrativa é bem original, diferente! Os personagens também! É sem duvida um assunto que me chama atenção, acho que vou curtir a leitura! Adorei a resenha!


    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  8. Oiii flor!
    Adorei a resenha do livro.
    Você gosta de ler ebook? Se for o caso tbm gostaria de disponibilizar o meu para resenha, só que são contos e cronicas sobre leitores...
    http://b-uscandosonhos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Olá!
    A história tem um ar pesadinho né?
    Mas ainda assim parece que o desenrolar é mais tranquilo que o início, primeira impressão.
    Gostei da resenha.
    Beijão
    http://www.a-toca.com/

    ResponderExcluir
  10. Nossa, parece ser uma história bem forte mesmo e de emocionar. Mas não sei se leria... Faltou algo ainda pra me chamar atenção.
    Beijos
    Balaio de Babados
    Promoção Quatro Anos de Minhas Escrituras

    ResponderExcluir